Fintechsestãoaproveitandobenefíciosdo'openbanking'noBrasil

Uma norma deve modificar a forma como instituições financeiras oferecem serviços bancários para os usuários. Conhecido como open banking (bancarização aberta, em tradução literal), a modalidade permitirá que os bancos compartilhem suas tecnologias e informações de clientes com terceiros. Com isso, novos serviços poderão ser ofertados, garantindo maior integração, acessibilidade, além de uma maior democratização e poder de escolha de serviços pelos consumidores. Essa norma ganhou maior visibilidade após entrar em vigor na Europa no início deste ano. Conhecida como PSD2 (sigla para diretiva revisada sobre os serviços de pagamento, em tradução livre), a diretriz obriga as instituições financeiras da União Europeia a abrirem suas tecnologias de interface de programação (conhecida no jargão técnico como APIs) para que outras empresas possam ter acesso e assim criem novas soluções em cima dessas. É nesse contexto que startups e fintechs (empresas com foco em tecnologia financeira) podem desempenhar papel decisivo. No Brasil ainda não há uma diretriz que obriga as instituições financeiras a compartilhar informações e dados de seus clientes para terceiros a partir das APIs. Mas iniciativas começam a surgir a partir do modelo europeu. Bancos e fintechs começam a criar soluções inovadoras com base no open banking. 

Eventos

20 Dez, 18
Veja todos os cases