Geraçãodocompartilhamento:jovensabremmãodocarropróprio
Patrocinado por

O desenvolvimento da sociedade – reflexivo e tecnológico – traz novos modos de enxergar o mundo. Consequentemente, traz novos comportamentos relacionados ao consumo. Os jovens de hoje tem uma visão totalmente diferente sobre o fato de possuir um carro – muitos deles, inclusive, abrem mão desse bem material. É o que aponta o Global Automotive Consumer Study: Future of Automotive Technologies é elaborado pela Deloitte em 17 países. O estudo aponta que 62% do jovens das gerações Y e Z que utilizam serviços de compartilhamento (como Uber e Cabify) consideram dispensável a compra de um carro no futuro. Analisando a amostra geral de brasileiros, 55% questionam a necessidade de ter seus próprios carros. Ao mesmo tempo, a pesquisa apurou que a maioria dos brasileiros (64%) afirma nunca, ou quase nunca, utilizar serviços de compartilhamento de veículos. “Isso é compreensível, já que nosso País é muito grande e esses serviços só estão disponíveis nos grandes centros urbanos. Mas é interessante perceber que 43% dos jovens que participaram do estudo utilizam esse serviço pelo menos uma vez por semana”, aponta Reynaldo Saad, sócio-líder da área de Bens de Consumo e Produtos Industriais da Deloitte Brasil. Em sua visão, o mercado precisa prestar atenção nessa nova percepção. “Nossos jovens estão cada vez mais inclinados a abrir mão de ter a propriedade de um carro, preferindo vivenciar esse movimento do compartilhamento, o que é um indicativo muito importante da tendência futura de consumo. Cabe à indústria automotiva acompanhar muito de perto essa nova realidade”, acrescenta. Fonte: Conarec