Humanizaromarketing,opróximodesafio

Quando falamos de marketing atualmente, a conversa muitas vezes tende a se concentrar em tecnologia. Como podemos automatizar? Em que devo investir? Como a inteligência artificial afetará o futuro? A tecnologia desempenha um papel maior no marketing todos os dias, mas às vezes precisamos dar um passo atrás e considerar o outro lado -- as interações humanas que conectam marcas com seus clientes e a necessidade de criar experiências significativas. Durante a C3 Conference, que foi realizada em Nova York em 7 e 8 de março, o CEO da Conductor, empresa de tecnologia de marketing, abriu o evento, pedindo ao público que pensasse em como usamos o Google. Às vezes, a pesquisa simples do Google pode nos ajudar a descobrir coisas sobre nós mesmos, nossas histórias ou os lugares em que vivemos. Mas, observou Besmertnik, o Google é apenas uma embarcação, e no seu núcleo há uma experiência muito humana. "Na verdade, o Google não dá as respostas, são as pessoas que dão as respostas. E temos que pensar sobre isso, porque é uma coisa incrivelmente poderosa que estamos fazendo ", disse Besmertnik. Humanizar o marketing esteve no cerne de cada conversa durante o primeiro dia do C3. Purna Virji, gerente senior de engajamento global da Microsoft, discutiu o sucesso dos "chatbots" projetados para servir com empatia e inteligência, um presente que apenas os engenheiros podem dar. Todd Friesen, diretor de estratégia digital e SEO da Salesforce, enfatizou a importância de estimular seus funcionários e criar uma cultura de valores que unem sua marca internamente. "Para a sua estratégia digital, não são os seus orçamentos, sua tecnologia, sua estrutura orgânica...", afirmou Friesen. "É o seu pessoal que determina o seu sucesso". Fonte: DMNews

Eventos

19 Set, 18
03 Out, 18
Veja todos os cases