RobôsdaAmazonavançam,mashumanosnãoperdemespaço

Talvez nenhuma empresa encarne tão bem as ansiedades e esperanças que rondam a automação melhor do que a Amazon. Muitas pessoas, inclusive o Presidente Trump, acusa a empresa de reduzir os empregos no varejo tradicional ao estimular as pessoas a comprarem online. Mas a acusação pode não se sustentar. A empresa tem se mostrado uma máquina de contratação com uma necessidade insaciável de mais funcionários em seus armazéns para conseguir atender o crescente volume de pedidos dos clientes. A força de trabalho global da Amazon é três vezes maior do que o da Microsoft e 18 vezes maior do que o do Facebook. Na semana passada, a empresa anunciou uma segunda sede na America do Norte que abrirá 50 mil novas vagas. E aí vem a questão dos robôs. A Amazon tem mais de 100 mil robôs trabalhando nos armazéns e em outras áreas em torno do mundo. Mas os funcionários humanos não estão perdendo seus empregos. A empresa está encontrando novas posições para eles. As máquinas pegarão os trabalhos mais tediosos e que exigem mais fisicamente, enquanto as pessoas terão mais tempo para se concentrarem em tarefas mentalmente mais desafiadoras. Fonte: The New York Times

Eventos

06 Mar, 18
Veja todos os cases