Verizonprovocaaumentodadiversidadeemsuasagências
Patrocinado por

Um ano atrás,  Diego Scotti, CMO da Verizon, uma das maiores operadoras de telefonia do mundo, enviou uma carta a todas as 11 agências que trabalham com a marca na qual exigia uma melhoria em relação ao número de mulheres e pessoas de cor trabalhando nelas. A HP e a General Mills, mais ou menos naquela mesma época, fizeram uma exigência similar, com a diferença de que essas duas empresas estabeleceram cotas. A Verizon não fez isso porque, como explicou Scotti, “não acreditamos em cotas, acreditamos em progresso”. Em vez disso, ele pediu para as agências compartilharem o status naquele momento e um plano de ação para o futuro. Agora, um ano depois, apareceram os primeiros resultados: 31% dos funcionários das agências agora são pessoas de cor, 9% mais do que antes; 11% daqueles em posições de liderança são hispânicos - 5% de aumento; 51% são mulheres -3% mais. Uma segunda iniciativa de inclusão social da empresa foi lançada nesta semana, o programa Ad Fellows, que seleciona 20 recém-formados de universidades de todos os EUA, todos com diferentes backrounds, para participar em um programa de oito meses. Scotti espera que no final do programa 90% dos "fellows" conseguirá empregos nas seis empresas participantes do Ad Fellows. Fonte: Adweek