Cuidado:aumentaonúmerodegolpesusandotecnologiadainformação

Durante situações como a que estamos vivendo, aumenta o número de criminosos tentando tirar vantagens dos esforços das empresas e pessoas para manterem-se trabalhando, alerta doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, professor de Planejamento Estratégico e Sistemas Integrados de Gestão da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Nos Estados Unidos a situação chegou a tal ponto que o Serviço Secreto alertou as forças policiais e autoridades controladoras das atividades bancárias e empresariais acerca do assunto. Pode-se acreditar que a situação em nosso país é a mesma. Empresas tem entrado em contato com seus clientes, fornecedores e empregados via e-mail, transmitindo informações acerca de como suas operações serão conduzidas durante a pandemia. A frequência destes e-mails tem aumentado, à medida em que novas situações surgem e as pessoas que os recebem acabam tendendo a acreditar que os remetentes são realmente as empresas com que trabalham e acabam relaxando com relação à segurança, especialmente abrindo anexos sem maiores preocupações. Acontece que os anexos enviados por criminosos normalmente acabam permitindo a instalação de software malicioso nas máquinas dos usuários, tornando-os vulneráveis a roubo de senhas, monitoramento de teclados e até mesmo travando máquinas gerando pedidos de resgate para seu destravamento. Esses anexos normalmente são arquivos do Microsoft Office ou do WordPad. Evidentemente outros tipos de ataque devem estar ocorrendo, cada vez mais frequentemente. Cabe às empresas e às pessoas tomarem cuidados cada vez maiores.