Expectativasparaovarejofarmacêuticoem2020;LGPDpreocupa

O varejo farmacêutico teve um ano de 2019 muito positivo, movimentando R$ 120,98 bilhões. Um crescimento de 7,60% em relação ao ano anterior. Todos os modelos de farmácias cresceram, mas o destaque foram as redes associativistas ligadas à Febrafar, que cresceram 14,9%. Mas como ficará o mercado para este novo ano? Para responder essa questão recentemente Edison Tamascia, presidente da Febrafar e da Farmarcas, preparou o e-book gratuito Tendências do Varejo Farmacêutico para 2020, para os profissionais do setor (http://www.farmarcas.com.br/gestao-farmaceutica/). E em 2020? "A expectativa é de que o mercado deverá seguir no ritmo de crescimento atual. Existem vários fatores que contribuem para o crescimento acima da média do canal farmacêutico, dentre os quais podem ser citados: essencialidade, evolução demográfica, patologias epidêmicas e desenvolvimento do mercado", projeta o presidente da Febrafar e da Farmarcas. Segundo ele, para manter a competitividade, é preciso agregar valor à marca e conquistar a confiança do cliente. Neste sentido, alguns pontos relevantes como qualificação do layout da loja, mix de produtos e administração de estoques, gestão de compras e precificação, qualidade de atendimento e da prestação de serviços não podem sair da pauta de atividades do gestor. E tem a questão da LGPD. "Uma das grandes preocupações dos empresários varejistas em 2020, principalmente aqueles que oferecem algum tipo de programa de relacionamento e fidelidade será a entrada em vigor da Lei 13.709/2018 que trará grandes impactos sobre o registro, manutenção e compartilhamento de dados pessoais dos clientes", analisa o presidente da Febrafar e da Farmarcas. Ele aconselha aos empresários ficarem atentos e buscarem consultoria jurídica especializada para compreender os impactos dessa nova legislação sobre seus negócios.